DEPRESSÃO


A depressão é mais do que sentir-se triste por alguns dias, mas sim um problema grave que pode afetar qualquer pessoa: homens, mulheres, jovens e idosos. Trata-se de um distúrbio afetivo que causa tristeza profunda, perda de interesse generalizada, falta de ânimo, de apetite, ausência de prazer e oscilações de humor que podem gerar pensamentos suicidas. Esse desânimo é fruto de desequilíbrios na bioquímica cerebral, como a diminuição da oferta de neurotransmissores (por exemplo, a serotonina).

Há diferenças entre tristeza e depressão. A primeira pode ocorrer após algum fato cotidiano, em que a pessoa sofre até assimilar o que está acontecendo e, em geral, não dura por muito tempo. Já a segunda se instala sem motivo aparente e, se não for tratada, pode piorar.

Atualmente já se sabe que, além da infelicidade crônica, a doença também causa alterações fisiológicas, como baixas no sistema imune e aumento dos processos inflamatórios.

Sinais e sintomas

Entre as manifestações da depressão estão:

  • Cansaço extremo;
  • Fraqueza;
  • Irritabilidade;
  • Angústia;
  • Ansiedade;
  • Baixa autoestima;
  • Insônia ou sono de má qualidade;
  • Falta de interesse por atividades que antes davam prazer;
  • Pensamentos pessimistas;
  • Pensamentos frequentes sobre a morte;
  • Comportamentos compulsivos;
  • Dificuldade de concentração;
  • Problemas ou disfunções sexuais;
  • Sensação de impotência ou incapacidade para os afazeres do dia a dia.

A depressão e o suicídio estão relacionados, mas nem toda pessoa depressiva corre o risco de cometer o ato. Essa tendência está relacionada a alguns fatores como, por exemplo, a gravidade do quadro, o uso de álcool e drogas, situações existenciais pessoais e presença de traumas psicológicos.

Diagnóstico

O diagnóstico da depressão é feito por uma avaliação apurada do médico, que inclui histórico do paciente e de sua família, e alguns exames. A condição pode estar associada a outros distúrbios psicológicos e é classificada de acordo com a intensidade: leve, moderada ou grave.

Tratamento

A doença pode durar semanas ou anos. Uma vez que passa por uma crise, o indivíduo tem grandes chances de enfrentar outro episódio na vida. Na maioria dos casos, o tratamento medicamentoso é feito em conjunto ao psicoterapêutico. Existem diversos antidepressivos no mercado, que ajudam a regular a química cerebral. O médico deverá indicar o melhor para o perfil do paciente.


Logo-Vera-Cruz-branco

Este é o nosso compromisso - Tratamento eficaz, atenção personalizada, ambientação afetiva, integração com familiares e financiadores, reinserção social.

Copyright by Vera Cruz 2019. All rights reserved.